Vida a bordo – a saga…

VIDA A BORDO – A SAGA

Essa história começou ano passado.
Em agosto recebi um email informando a existência 1.000 vagas para trabalhar em cruzeiro marítimo pelo mundo afora.
Interessei-me prontamente. A princípio achei que tinha a ver com meu espírito depois cheguei à conclusão que seria uma junção do espírito com a necessidade (a financeira, é claro). Mandei um email em resposta e fui atendida por uma moça super simpática chamada Adriana. Email vai, email vem acabei sendo convocada para a primeira entrevista, com a empresa Infinity (www.infinitybrazil.com.br).
Cheguei lá no dia e hora marcados, super tensa! Primeiro passo dado.

No dia mesmo fui informada que haveria uma outra entrevista (dois ou três dias depois dessa primeira, não lembro ao certo agora) e que dessa vez seria em inglês.
Nossa… a terra tremeu, fui morrendo de medo (não apenas tensa, como da primeira vez).
Mais uma vez fui super bem recebida pela Adriana (a moça simpática e amável que recebeu meu primeiro e-mail – foi ela quem me falou sobre “não desistir dos sonhos”). Fiquei na sala que antecede a tal da entrevista em inglês (feita sempre em dupla, o que acaba por triplicar o pânico do indivíduo).
Fui chamada. Eu e um garoto super descolado, super novo. Entramos numa sala pequena, com uma mesa grande, uma cadeira para o entrevistador e outras duas para os entrevistados. Lá estava a Sheila! Deu um sorriso simpático que conseguiu até diminuir em 30% o meu stress e lá fomos nós.
Respondi a três perguntas feitas pela Sheila e simplesmente TRAVEI (ah… até então eu pleiteava uma vaga para a cozinha). Não devo ter sido a pior de todos mas também não fui nenhuma última coca cola do deserto. Eu estava certa de minha reprovação.
Saí da tal sala e fui até a Adriana para me despedir e agradecer a atenção que ela teve por mim no processo seletivo.
Ela virou e disse: “Você, por acaso, acha que não passou?”? Eu acenei que sim com a cabeça e disse que achava não ter passado mas que agradecia imensamente por tudo.
Umas 4 horas depois toca meu telefone, era a Adriana. Disse ter uma boa e uma má notícia. Perguntou qual eu queria primeiro. Respondi: “A má, é claro”. Ela: “A má notícia é que você não passou para ajudante de cozinha e a boa notícia é você passou para assistente de garçom”
Nossa, eu pulei muito. Assistente de garçom = gorjeta! Isso é ótimo, pensei! Melhor impossível!

Na primeira semana de setembro aconteceu um treinamento chamado Vida a Bordo. Foi essencial participar. O nosso instrutor, Jonathan, era o carisma em pessoa. O cara só fez acender ainda mais a paixão dos que se aventuraram no processo e, ao mesmo tempo, falou a verdade sobre a vida a bordo.

No dia 13 de setembro mudei do Rio para Vitória. Arranjei um emprego mas no começo de outubro tive que pedir demissão pois teria minha empresa entrevista com empresa de cruzeiro, com a Iberojet no Rio de Janeiro. Estudei loucamente, loucamente mesmo.
Vale ressaltar minha idade, 39 anos. Geralmente as empresas recrutam seres de 21 a 35 anos, acho que foi por isso que a Adriana me falou para não desistir do sonho…. fez todo o sentido!

Lá fui eu para a entrevista. Cabelo preso, aquela roupa básica de entrevista (discreta), unhas curtas e claras, sem bijouterias e incrivelmente nervosa. A sala de espera abrigava uns 15. Todos em pânico e tentando relaxar com um bate papo amigável. Sabíamos que ali não havia competição, uns passariam e outros não, era simples assim.
Fui entrevistada por um cara simpático e saí da sala certa de que tinha feito o meu melhor. Não vacilei, não gelei e nem travei. Respondi tudo o que ele perguntou.
Foram uns 4 dias de agonia e sofrimento até obter a resposta. Não passei.

Fiquei chateada por uns 2 dias e cheguei à conclusão que não dava para deixar a peteca cair. Sempre há uma luz no fim do túnel, nem que seja o trem vindo em direção contrária! Em frente.

Uns dois dias depois recebi um email convocando para uma entrevista com a Island Cruise. Lá fui eu de novo! Mesma sala, só que agora era outra pessoa a me entrevistar. Uma mulher que me fez lembrar a Meryl Streep. Fui a primeira (nem deu tempo para alimentar a tensão). A primeira pergunta foi: “Qual sua idade?” e a segunda “Por que, aos 39 anos, você quer trabalhar a bordo?”. Já saí sabendo que não havia passado. Nem deu para ficar lá tão triste. Apenas cheguei à conclusão que minha saga tinha chegado ao fim.
Os amigos mais próximos sofreram comigo ao longo desse último processo, o decisivo, diga-se de passagem.

Quando estava pronta para voltar para Vitória e esquecer essa história de navio recebi um e-mail informando nova data, para nova entrevista, em nova companhia: Costa Crociere.
Eu li o e-mail, reli, parei, pensei, pensei, pensei e decidi que participaria. Não custaria nada, já estava no Rio de Janeiro mesmo… nada tinha a perder. Dessa vez não divulguei a entrevista. Decidi fazer sem compartilhar com muita gente, fora minha mãe e filhos, apenas 3 pessoas tomaram conhecimento e eles devem ter pensado: “Lá vai essa garota sofrer de novo”, pensamento correto, a chance disso acontecer era imensa!

Informei minha mãe que ia encarar mais uma. Meus filhos, como sempre, amando – minha ida significaria “alguns bens de consumo” para eles no final da minha jornada….
Lá fui eu. Cabelo preso e todo o etc. Entrevista via skype. Eu nervosíssima na lan house (o cara abriu a lan 8h30min para me atender pois o horário normal era 9h). Passaram-se alguns minutos e fui chamada. Eta ferro… lá vou eu…
A entrevistadora me deu um bom dia super simpático, com direito a sorriso e tudo. Perguntou minha idade e seguiu perguntando montes de coisas, montes mesmo. Respondi tudo calmamente (não sei de onde veio tanta calma, não sei mesmo) e saí de lá exultante, dever super cumprido!
Dois dias depois recebi a resposta: SIM SIM SIM, passei!
Pulei, grite, chorei e compartilhei com os mais próximos a alegria. Era muita, muita alegria mesmo. Foi uma super batalha, com direito a duas pequenas derrotas para depois usufruir do prêmio.

Próxima etapa: treinamento da Costa em Santos! Fui amarradona e na rodoviária já conheci um garotão simpático que também ia para o treinamento. Batemos papo a viagem toda e foi na viagem que criamos o “I close my eyes”. O que diremos quando nossos colegas a bordo falarem algo que não entendamos? hahaha I CLOSE MY EYES será a resposta sempre que alguém falar, falar e nada compreendermos.
O treinamento da Costa foi maravilhoso. O instrutor, Renato é nota 10. Muito bom mesmo. Voltamos para o Rio gostando imensamente da empresa para a qual tínhamos passado. A Costa é uma das poucas, se não for a única, que faz esse tipo de treinamento. Embarcaremos não completamente perdidos. Entramos no navio com, pelo menos, noção de alguma coisa… história da companhia, missão, valores, procedimentos, etc etc etc. Foi no treinamento que conheci Ju, Wal, Guaraci, Henrique, Diego, outro Diego e Leandro.

Foi aí que agradeci imensamente por não ter passado para as outras! Passei para a empresa certa, isso sim!
A partir daí o lance era aguardar a data de embarque. Todo mundo ansioso. Em dezembro começaram a surgir… Henrique embarcou em novembro mesmo no Costa Magica, Wal foi designada para o Magica também. Diego e Ju receberam datas próximas ao natal para embarque, também no Magica. Todo mundo indo pro Magica…. Finalmente recebi a minha: 13/3 no Magica (que maravilha, pensei, vou pro Magica com o povo que conheço). Guaraci (que diz ser meu genro) recebeu mesmo data e mesmo barco que eu. O outro Diego (rs) foi o primeiro a se isolar, foi para o Mediterrânea. Leandro (nosso cozinheiro querido), por sua vez,  foi levado para outro navio, o Costa Romantica (ficamos tristes, queríamos Leandro conosco, além de ser divertido (I close my eyes) o cara seria nosso contato com uma comida de melhor qualidade….!!! Semana entre natal e ano novo tudo começa a mudar. Guaraci recebe uma ligação e é informado que vai para o Costa Romantica (junto com o Leandro) no dia 3 de janeiro. Eu brinquei com ele, disse que queria ir para o Romantica, que além de ser um navio com menor número de passageiros (1.690) também é o navio que faz o roteiro ItáliaXGrécia (quem, em sã consciência, não quer conhecer a Grécia???).

Aí vem a notícia: recebi um email da Jerusa da Infinity, no dia 30 de dezembro, informando minha nova data de embarque: 12 de janeiro, no COSTA ROMANTICA (com Leandro e Guaraci, meu genro). Na hora nao fiquei nem feliz e nem triste. Deu um branco. Eu estava completamente programada para embarcar em março, não em janeiro…. Muito a fazer e pouco tempo para me organizar, fora um fato novo que foi um delicado problema dentário…
enfim…
O que sei é que hoje é dia 11 de janeiro, meu embarque será amanhã e estou quase em pânico, morrendo de medo, muito medo mesmo! Dizem por aí que soldado sem medo é soldado morto. Eu vou encarar essa, vou dar meus 101%, como disse meu amável e incentivador instrutor Gildo!

Darei notícias, farei posts sempre que possível.

Morrerei de saudade, chorarei baldes, já sou meio emotiva, agora então… que venham os baldes e os lenços imensos! Espero ainda ter muito a contar!
Espero também que esse tempo passe logo para que eu possa receber alguns abraços super especiais.

Ao longo dessa história muitos foram importantes, alguns não podem ficar sem o devido agradecimento.

Agnes, Christiano e mamãe – minha família, meus filhos e minha mãe, que acreditaram no meu sonho e que vibraram comigo a cada avanço, a cada passo. Saudade danada que vai dar de abraçá-los e beijá-los até ouvir um “Para, mãe”. Meus amores!

Edu – o meu “tesouro”, sim, é assim que o chamo – também é um anjão lindo. Salvou minha alma da agonia e sofrimento de 2007 para 2008 (dezembro terrível foi o de 2007). Estava longe fisicamente mas agiu como se estivesse ao meu lado. Incansável nas palavras ternas, que me aconchegaram, incansável também nas atitudes. Acho que, por muitas vezes, ele acreditou mais em mim do que eu mesmo conseguiria acreditar. 27 anos juntos na vida, 27 anos de amizade e carinho. Isso merece comemoração na volta, com direito a muito suco de uva gaúcho e uma ida ao estádio para ver o Grêmio ganhar!

Debinha, Marco e Bia (o anjo mais lindo do mundo) – é incrível a capacidade de amar que possuem. Foram meu primeiro aconchego, os primeiros dias da saga foram leves em virtude de todo o amor e carinho que recebi naquela casa.

Cláudio – o meu porto mais que seguro, o melhor de todos os portos que verei nessa vida. Preocupado, gentilíssimo, amável, solidário, carinhoso, preocupado, enfim, o cara não existe, aliás existe e… parece um sonho!

Renato – manusko, o meu mano mais que querido, meu amigo, meu parceiro na vida. Acolheu-me de uma forma incrível, impressionante mesmo, braços abertos, doação, paciência e perseverança foi o que ele me fez sentir durante todo esse tempo.

Dri – uma super hiper mega amiga. sempre com a palavra certa na hora certa. Taí uma mulher sensata, íntegra… o melhor: sempre acreditei quando ela me dizia que as coisas melhorariam. Ah… um detalhe super importante, ela é mãe da doce Maria Cecília!

Valéria – minha prima, uma querida que me injetou ânimo na empreitada e muito me ajudou.

Pollyanna – grande amiga de muitos, muitos anos, jogávamos volei juntas no meio da rua e fazíamos altos almoços (macarrão e batata frita, brigadeiro de sobremesa). Em setembro/2008 marcamos um almoço e ela me olhou fixo e disse: “Vai que essa é sua”, Polly foi a grande vibração!

Lupi, Milene, Cris, Gra, Renata, Gardelon, Minuto, Gilberto e Letícia – tesouros valiosos que reencontrei depois de 20 e tantos anos. Celebraram, muito, quase mais que eu! Algo me diz que em setembro/09 ocorrerá um revival na praça do colégio rosário, comendo cachorro quente com toda essa trupe maravilhosa!!! Isso realmente me estimula!

Pessoal da Infinity (Adriana, Sheila, Jerusa, Jonathan, Gildo, Camila) – conseguem ser profissionais sérios e ao mesmo tempo passar emoção e vibração pelas conquistas dos que têm a sorte de passar por lá.

Meus dois anjos da guarda – Papai e Alessandro. Presenças espirituais fortes em vários momentos. Vão comigo, no navio e nesse grande embarque que é a vida.

Nada, nada seria possível sem estes seres!
A vida deve ser mesmo isso, arriscar-se… Especialmente num país ainda em desenvolvimento feito esse, que adoro, mas que no momento não me suporta, pelo menos não agora. Vou tremendo de medo, mas vou e, o melhor: eu volto!!!

Abraços apertados em todos, mandarei notícias sempre!

costa romantica em santorini...

costa romântica em santorini...

8 responses

11 01 2009
Renato

I LOVE YOU !!!

11 01 2009
lupi zen

SÓ VC MESMO PRA IR PARA NUM NAVIO DE NOME “COSTA ROMÂNTICA” JESUS NINGUÉM SEGURA ESTA MULHER, TÔ MUITO FELIZ COM MAIS ESTE NOVO CAPÍTULO DA TUA VIDA. VIVA TUDO QUE TEM DIREITO E MUITO MAIS.
GRANDE BJO DE LUPI ZEN E BON VOYAGE!!!!!!!!!!!!!!!!!!

DOS MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS IMAGINA VC COMO NÃO FOI A VIAGEM DA DESCOBERTA DAS AMÉRICAS E DO BRASIL ESPELHE-SE NISSO E SEJA MUITO FELIZ!!!!!!!!!!!!! A EPOPÉIA RECÉM COMEÇA …………

ADOREI O BLOG

11 01 2009
Milene

Pat querida, meus olhos se encheram de lágrimas de emoção, de saudade e também de orgulho de ser tua amiga e fazer parte da tua história. Tudo vai dar certo, os anjos vão estar sempre do teu lado e as tuas famílias, a de amigos e a de verdade, vão estar sempre torcendo por ti!
Aproveita cada minuto e tira muuuitas fotos pra gente ver, ok? Estaremos esperando ansiosamente por notícias tuas…
Um grande beijo com todo meu carinho e amor.

12 01 2009
Adriana R.

Aí Pat, a parada é a seguinte!
Não tem nada de fru-fru não, vai ser F…, Foco no objetivo um dia por vez.
Você consegue. Estamos te esperando na volta. Tamujuntu!

12 01 2009
Andréa

querida, que essas ondas lhe tragam bons fluidos para aguentar esse tempo todo longe, principalmente da sua família. nós, aqui em terra firme, estamos torcendo por você.
até a volta e vamos nos falando
beijo

12 01 2009
Marcela

Linda !!! Parabens!!! Sucesso !!!

13 01 2009
Claudio

Patsun, maruja de todos os mares, dos mais calmos ao mais turbulentos, tua narrativa me amarrou, emocionou. Iça tuas velas, boa sorte. Aguardo novas leituras deliciosas sobre este nosso vasto mundo.
Beijos,

18 01 2009
Cris

Querida!!!!!!!!!!!!
A vida é uma linda caixinha de surpresas!
Que bom que estás te permitindo embarcar nesta aventura que é viver…
Se a ansdiedade bater, é só prestar atenção na respiração…
inspira… espira.. inspira… espira…
Estamos juntas nesta viagem!
Quando sentir saudades é simples: toca o ar! O mesmo ar que estás a tocar nos envolve a todos, seja em que parte do mundo estivermos…
Beijão e estamos te esperando para aquele cachorro quente!!!!
com muito amor,
Cris

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: